segunda-feira, 30 de setembro de 2019

ESCOLA DE COMÉRCIO DE NATAL - 100 ANOS - POR JANIA SOUZA



Escola de Comércio de Natal
100 anos
Ao Baluarte da Contabilidade Brasileira
Professor Ulysses Celestino de Góis

Jania Souza

Um raio de sol nascente
Despontou formosa aurora
Na cabeceira do Potengi
Fez-se Escola de Comércio
Primazia em Natal
Pelas valorosas mãos
Do pioneiro da cátedra
Ulysses Celestino de Góis
Audaz desbravador contábil
No torrão de Poty
O maior dos caciques
No território nacional.

Seus sonhos de construir
Uma sociedade eficiente
Com oferta de emprego
Sem a empresa fenecer
Para a juventude galgar
Horizontes de sucesso
Com equilíbrio e ética.

Ao visionário empreendedor
Lutador, aguerrido imbatível
Gratidão de todas gerações
Premiadas com a oportunidade
De ganhar novos espaços
Na profissão Mercantil
Iniciada em 1.919.
Fez de sonhos, realidade
Implantou uma nova ordem
No comércio deu o que faltava
O equacionamento das contas.

Aplausos a esse homem herói
Humilde, trabalhador incansável
Fez da sua missão, grande legado
Deixou ao povo os segredos contábeis.

Obrigada, grande mestre
Pelos teus ensinamentos
Pois fizeram a diferença
Em cada um de nós
Aqui nesse recinto presente.

És o gigante que extrapolou
A estratosfera do limite carnal
Com sua inigualável
Obra pela humanidade.

O SECRETÁRIO DE PROFESSOR ULYSSES CELESTINO DE GÓIS

Com o homenageado Carlos Rosalvo de Oliveira Serrano

domingo, 29 de setembro de 2019

100 ANOS DA ESCOLA DE COMÉRCIO DE NATAL COMEMORADO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, PROPOSITURA DO DEPUTADO ESTADUAL GEORGE SOARES


Ao lado de notáveis da Contabilidade do RN e convidados após o encerramento da Homenagem aos 100 anos da Escola de Comércio de Natal na Assembleia Legislativa, propositura do Deputado Estadual George Soares. Alguns nomes: Diretora de Controle Interno do CRCRN, contabilista Maria Rosário de Oliveira; Professor Aposentado do Departamento de Ciências Contábeis da UFRN, Ivanildo Alves Messias; Terezinha Josefa de Souza (mamãe); Presidente da Associação de Peritos Contábeis, José Jeová Soares e sua esposa Maristela; escritor e contabilista Tomislaw Feminick; Presidente da Academia de Ciências Contábeis Jucileide Ferreira Leitão e familiares; contabilista Dijosete Veríssimo da Costa.



Durante a homenagem da Assembleia Legislativa, no dia: 26/09/2019, à tarde, aos 100 anos da fundação da Escola de Comércio de Natal, em 08 de setembro de 1919, pelo seu idealizador e aguerrido batalhador para implantação e funcionamento, Professor Ulysses Celestino de Góis, um jovem humilde, nascido em Igapó, a época pertencente ao município de São Gonçalo do Amarante.

Ulysses foi uma criança tímida, iniciada logo cedo no conhecimento da religião e da fé. Paralelamente ao seu interesse pelas coisas sagradas, enveredou-se pela descoberta e interesse  da Contabilidade, iniciante como ciência e profissão no mundo. Logo cedo, tornou-se caixeiro e conseguiu um estágio na Alfândega em Natal. A partir desse momento, começou a evoluir no campo do registro das contas mercantis e na sua fiscalização. Tornou-se respeitado na área e detinha a amizade dos homens famosos e atuantes da igreja em seu tempo, como Dom Eugênio Sales, Dom Marcolino, Dom Expedito da Adutora, Dom Nivaldo Monte e outros, em razão dessa aproximação de estreitos laços participou da fundação em 1949 do Serviço de Assistência Rural e Urbana da Arquidiocese de Natal. Tendo convivido com esses e partilhado pensamentos e ideais humanitários, sociais, contábeis, por registrar as contas da igreja. Tornou-se no Brasil, dessa forma, pioneiro na implantação das Ciências Contábeis até o nível de faculdade e regulamentação e fiscalização da profissão por meio da fundação do Sindicato dos Profissionais da Contabilidade. Fundou cooperativa e o primeiro órgão de imprensa do estado, bem como três jornais, dentre os quais A Palavra e A Ordem.

A Presidente da Academia de Ciências Contábeis do RN, Jucileide Ferreira Leitão, honrou a memória desse fabuloso ser humano através do registro em livro de sua autoria: Ulysses Celestino de Góis. . Resgatando  a importância e o valor do trabalho desse notável homem para as Ciências Contábeis brasileira e mundial.

Grande educador, levou aos jovens a esperança de uma vida melhor através de uma nova profissão que dinamizou e tornou mais eficiente a empresa em seu estado e no país. Fundou a Escola de Comércio de Natal. Posteriormente, conseguiu transformá-la, com o avanço da legislação nacional, em Escola Técnica de Comércio. Ao término do curso técnico, o estudante recebia o Diploma de Técnico em Contabilidade. Assim, passava a operacionar em escritórios, prestando serviços contábeis a empresas ou tornando-se empregado em alguma. Não satisfeito apenas pelo curso técnico, o professor Ulysses de Góis resolveu lutar pela implantação da Faculdade de Ciências Contábeis. Essa, quando da fundação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, passou a compor a nova entidade formal de educação superior e tornou-se o Departamento de Ciências Contábeis por onde todos nós contadores passamos. Nosso agradecimento a esse homem humilde e imbatível em seu entusiasmo e motivação, que transformou com sua persistência inovativa o pensamento arcaíco de escrituração.

Fui convidada para falar em nome dos meus colegas pela presidente Jucileide e pelo meu primo, companheiro de escola e presidente da Associação de Perito e outros títulos, contabilista José Jeová Soares na Sessão Solene em homenagem ao Centenário de Fundação da Escola de Comércio de Natal. Para mim, uma enorme honra, por ter a missão de saudar esses profissionais eficientes e imbatíveis que transformaram um estado e participaram ativamente das mudanças no país.

Iniciei saudando a composição da mesa nas pessoas do Excelentíssimo Senhor Deputado Estadual George Soares, propositor da homenagem; a Presidente da ACCRN Jucileide Ferreira Leitão; o representante do Prefeito, Diogo Capuxu Roque do PROCON Municipal, o representante do Presidente da Câmara de Natal, Vereador Raniere Barbosa; o Presidente do Sindicato dos Contabilistas Ronaldo Santos da Cruz e a Diretora de Controle Interno do CRCRN Maria do Rosário Oliveira e os contabilistas presentes homenageados: Antônio Capistrano; Aquinaldo Barbosa; Carlos Rosalvo de Oliveira Serrano; Dijosete Veríssimo da Costa; Ivanildo Alves Messias; Ivanilson Pessoa de Medeiros; eu; José Jeová Soares e (In memoriam) Manoel Corsino Filho e Ulyssis Celestino de Góis, demais presentes, convidados e familiares.

Lembro-me quando fui pela primeira vez em uma noite escura, que me causou medo, apanhar o ônibus para me dirigir à Escola Ténica de Comércio na Ribeira, onde iria iniciar o curso técnico. Para minha salvação, ao longo da Avenida Presidente Quaresma ou Avenida 1, como batizaram os americanos durante a II Guerra Mundial em sua passagem em nosso solo, chamado de Trampolim da Vitória, encontrei Verinha, que se dirigia ao mesmo local com a mesma finalidade. Foi uma alegria encontrar companhia e rumar para a aventura de galgar novos sonhos através do estudo.

Ao chegarmos à escola, encontramos Jeová, meu primo, que também iniciava seu curso conosco. Descobri nesse dia, que o desconhecido, embora assustador, sempre é melhor do que nossa ansiedade pinta. O monstro transforma-se repentinamente em uma poesia. Só necessita de um olhar cauteloso, apoiado em uma mente aberta pronta para as mudanças e as novidades benfazejas.

Passamos três anos de descobertas, enfrentamento de dificuldades e de vitórias, que nos preparam para a área da escrituração mercantil. Mas vimos também as matérias Língua Portuguesa com Eliene, que amava Vinicius de Moraes, Matemática com José (Zé) Maria e Inglês com professor Airton. Ainda lembro dos professores Rui, Tereza Newman, Moreirinha e o Diretor.

Muitos amigos ficaram no coração. Outros ficaram na névoa do tempo na memória, pois eram muitos alunos. Cada classe tinha de quarenta a cinquenta alunos e eram muitas classes em três andares no edifício, hoje, da Avenida Câmara Cascudo. Foi lá que Jeová mostrou-me Câmara Cascudo sentado na cadeira de balanço na varanda da sua casa fumando um charuto, que exalava fumaça, e contemplava o céu estrelado e o rio Potengi. Da mesma forma, indicou-me, quando passava mansamente e encurvado, o professor Ulysses Celestino de Góis.

Rosa, reencontrei como colega de trabalho na Caixa Econômica Federal, porém em áreas diferentes. Eu fiquei lotada na Agência Ribeira, vizinho a Escola Técnica de Comércio Professor Ulysses Celestino de Góis.

Meus laços de amizade foram mais estreitos, além de Verinha e Jeová, com Enilza, Eliane, Domingos, Gurgel, Genar Ribeiro Caldas, Jaeci Sotero Leite. Sei que todos conseguiram se destacar em suas atividades, fato que nos deixa muito felizes. Outros se mudaram para outras localidades, enquanto alguns partiram para outras dimensões. Porém, o alegre convívio de trocas e partilhas engrandeceram nossas experiências e visão de mundo. Aqui fica meu agradecimento, que sei que é de todos nós, a esse gênio chamado Ulysses Celestino de Góis, que nos possibilitou uma vida profissional vitoriosa através da educação mercantil. Aproveito para registrar meu apelo, pela revitalização dessa entidade de ensino para as futuras gerações, uma vez que se pode observar muitos jovens evadindo-se das escolas sem perspectiva de trabalho e sem saber como produzir. Muitos se envolvem com o tráfico e sem esperança mergulham na dependência química com todas as suas consequências sinistras, degenerando a sociedade com a violência caótica que impõem a própria família, a si e a comunidade.

Encerro minhas palavras com o poema que escrevi para exaltar esse precioso e histórico momento.


Escola de Comércio de Natal
100 anos
Ao Baluarte da Contabilidade Brasileira
Professor Ulysses Celestino de Góis

Jania Souza

Um raio de sol nascente
Despontou formosa aurora
Na cabeceira do Potengi
Fez-se Escola de Comércio
Primazia em Natal
Pelas valorosas mãos
Do pioneiro da cátedra
Ulysses Celestino de Góis
Audaz desbravador contábil
No torrão de Poty
O maior dos caciques
No território nacional.

Seus sonhos de construir
Uma sociedade eficiente
Com oferta de emprego
Sem a empresa fenecer
Para a juventude galgar
Horizontes de sucesso
Com equilíbrio e ética.

Ao visionário empreendedor
Lutador, aguerrido imbatível
Gratidão de todas gerações
Premiadas com a oportunidade
De ganhar novos espaços
Na profissão Mercantil
Iniciada em 1.919.
Fez de sonhos, realidade
Implantou uma nova ordem
No comércio deu o que faltava
O equacionamento das contas.

Aplausos a esse homem herói
Humilde, trabalhador incansável
Fez da sua missão, grande legado
Deixou ao povo os segredos contábeis.

Obrigada, grande mestre
Pelos teus ensinamentos
Pois fizeram a diferença
Em cada um de nós
Aqui nesse recinto presente.

És o gigante que extrapolou
A estratosfera do limite carnal
Com sua inigualável
Obra pela humanidade.


Agradeço em nome dos homenageados ao Deputado Estadual George Soares pela propositura de Homenagem ao Centenário de Fundação da Escola de Comércio de Natal.

Muito obrigada a todos.


quarta-feira, 25 de setembro de 2019

EDUCAÇÃO DE TRÂNSITO NO SHOPPING VIA DIRETA COM JOSÉ CARLOS


Encontrava-me sentada no banco do Shopping Via Direta com telefone na mão na tentativa de rabiscar um poema para os 100 anos da Escola Técnica de Comércio de Natal, fundada pelo fenomenal professor Ulisses Celestino de Góis, que será homenageado amanhã à tarde na Assembleia Legislativa do RN, quando fui abordada por um amigo do Facebook.

Ele falou-me que era meu seguidor e que apreciava poesia. Seu nome, José Carlos.

De pronto, lembrei-me.

Enquanto falávamos, observei a minha frente, carrinhos de brinquedo para crianças pedalarem e presença de muitas crianças na faixa do Jardim de Infância acompanhadas por suas professoras.

Ao sentar anteriormente no banco e baixar a cabeça para o telefone, notei um certo barulho de catraca interrompendo o silêncio metafórico do local. Porém esse barulho não me incomodou muito. Ignorei-o e voltei minha atenção para o que requeria minha necessidade momentânea. Foi quando o José Carlos se aproximou, cumprimentou-me e começou a falar empolgado.

Ele disse-me que trabalha na STTU de Natal e, como vocês já sabem, conhece-me do face e das poesias pela cidade. Inclusive é amigo do grande Poeta Paulo Varela.

Trabalha com Educação de Trânsito para crianças e estavam ali para receber crianças e falar a elas de forma educativa, pedagógica e lúdica sobre as regras de trânsito com suas sinalizações e como dirigir.

Eles levaram para o shopping uma miniatura da pista de lona em que é simulada uma estrada e as crianças fazem sua primeira experiência ao volante.

Achei muito legal a proposta. Principalmente por causa do alto índice de mortes nas estradas por imperícia, por desconhecimento ou irresponsabilidade dos motoristas ao trafegarem nas cidades e nas rodovias.

Também me convidou para visitar a sede no conjunto Cidade Satélite, onde a pista é maior, para avaliar uma possibilidade de levar para lá a literatura poética a fim de tornar o espaço encantador para as crianças que vão aprender sobre cidadania.

Gostei imensamente do projeto e da sua aplicação, por ser uma forma de compartilhar o amor pela vida nesse mês em que se dar ênfase a valorização dessa chama tão efêmera que nos move.

Parabéns, José Carlos, pelo entusiasmo que você tem pelo seu trabalho. Contagiou-me.

Desejo muito sucesso e continuidade nessa iniciativa da STTU, Prefeitura Municipal de Natal.

Nossas crianças e a vida agradecem!

 Um encanto

De espaço
Para se aprender
A respeitar a si
Ao outro
E a vida

Estou com o Diretor da Unidade de Educação de Trânsito da STTU, Sr. Lourenço e com meu amigo, amante da vida, José Carlos, em um Ponto de Parada para reflexão.

FEMME-BATEAU DE SÉRVULO ESMERALDO NA XIII BIENAL DO LIVRO DO CEARÁ - TEXTO ENVIADO PELA ESCRITORA ROSA FIRMO COM COMENTÁRIO

Femme-Bateau está na identidade visual da edição de 2019. Poética, literária e muito simbólica no tempo em que o artista completaria 90 anos Um barco exalando fumaça, uma mulher com cabelos esvoaçantes, uma sereia misteriosa… Quem vê a obra Femme-Bateau, de Sérvulo Esmeraldo, pode ter interpretações múltiplas. A criação do cearense permite diferentes leituras e isso chamou a atenção de Anna Dantes, editora carioca convidada para criar o selo e a identidade visual para a XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, que acontece de 16 a 25 de agosto em Fortaleza. “Foi algo surpreendente, eu tinha outra proposta para a identidade visual, quando vi a Femme-Bateau do Sérvulo ela tomou conta da ideia do selo. Ela é poética, potente e tem uma relação afetiva com a cidade. É uma imagem muito interessante, que se transforma a partir da leitura que se faz dela; pode ser rebocador que solta fumaça ou uma mulher barco. Como o Ela traz esse caminho de possibilidades”, comenta. Segundo Anna Dantes, esta é a mensagem: “É uma Bienal voltada para o entendimento de que temos que abrir espaço para mundos possíveis, para cidades possíveis, e a Femme-Bateau, como disse o Sérvulo, é uma Femme-Bateau cuja missão é nos conduzir com segurança, fantasia, coragem e esperança”. No olhar da editora, o artista cearense, que começou sua trajetória fazendo xilogravuras, tem uma obra bastante gráfica. “Sua obra é uma escrita na cidade, suas esculturas ampliam muito o olhar entendendo relação entre formas, vazios, espaços e cores. É muito importante ter um artista como o Sérvulo inspirando todas as peças gráficas da Bienal. A arte cinética é uma espécie de narrativa, de força em movimento, tem uma relação bastante literária. Ele é um artista de referência no Ceará e no Brasil, com uma rica relação com o mundo, com a cidade e com outros pintores e escritores”, destaca Anna Dantes. Ela explica ainda que o projeto gráfico da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará busca a expansão da percepção das coisas baseado nas cores e na tipologia simples, que utiliza uma letra manual, do agora, do gesto de escrever. A imagem do Sérvulo serviu de matriz de pensamento e de criação para uma oficina de criação imersiva realizada em julho com estudantes e professores dos cursos de Publicidade e Arquitetura da Universidade de Fortaleza. “Durante o encontro desenvolvemos uma fonte com todo o alfabeto que estará na sinalização, na escrita de toda a Bienal. É um trabalho bem interessante cuja matriz é uma mulher-barco, uma mulher-cobra, uma mulher-canoa, relembrando o mito de origem da vida”, comenta. A decisão de homenagear Sérvulo foi recebida com muita alegria por Dodora Guimarães, viúva do artista e presidente do Instituto Cultural Sérvulo Esmeraldo, criado em 2013 e responsável pelo acervo e legado do artista. “É uma homenagem linda e, porque não dizer, também muito poética. Sérvulo Esmeraldo amava os livros. Há inclusive um texto seu no qual ele se apresenta como um livro. Os livros sempre estiveram presentes na vida dele. Na infância e juventude ele foi muito influenciado pelos livros, como leitor e pesquisador. Os livros eram suas fontes de estudos para projetos que intuiu menino ainda”, lembra. Neste 2019, quando ele completaria 90 anos de vida, o Ceará celebra o Ano Cultura Sérvulo Esmeraldo. A homenagem é fruto de um projeto de lei encaminhado pelo governador Camilo Santana e aprovado pela Assembleia Legislativa. A “Femme Bateau” é sua escultura-biruta atracada nas longarinas da Ponte dos Ingleses (ela está sumida, mas voltará ao seu lugar, brevemente), e também uma marca da Praia de Iracema, uma imagem flutuante e misteriosa. Para Anna Dantes e Dodora, a homenagem da Bienal contribuirá para maior conhecimento e difusão da obra de Sérvulo Esmeraldo. Atividades didáticas também estão sendo pensadas no sentido de trabalhar a vida e a obra do cearense como o escultor das obras monumentais tão significativas para a capital cearense. “O artista também foi um importante gravador em Paris, onde viveu por mais de 20 anos, o desenhista que desde menino traçou na mente a linha do horizonte da Chapada do Araripe (no Crato, onde ele nasceu em 1929), o artista da geometria, da matemática e da física, da precisão e da concisão. Acredito no projeto curatorial da Bienal, na força e na envergadura da sua programação”, acrescenta Dodora. PS. Essa obra, Femme-Bateau estava posta na Ponte dos Ingleses, na praia de Iracema próximo onde moro. A nossa guardiã, o mar revoltado carregou-a, creio que, por conta das ações degradantes dos gananciosos de Fortaleza, que constantemente trabalham para aterrar a Praia de Iracema. Pescadores habilidosos trouxeram-na de volta, machucada, despetalada. Está sendo restaurada. Espero seu retorno para nos guardar na Praia de Iracema. Rosa Firmo

A ALAMPEANA E PIONEIRA EM EMPODEIRAMENTO FEMININO, TEREZINHA JOSEFA DE SOUZA, RECEBEU HOMENAGEM NA CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL POR SUA ATIVA PARTICIPAÇÃO COMO LEIGA EM APOIO À ARQUIDIOCESE DE NATAL NO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA RURAL E URBANA DURANTE COMEMORAÇÃO DOS 70 ANOS DE REALIZAÇÕES E RESISTÊNCIA JUNTO AO HOMEM E A MULHER EM SUAS DIVERSAS FASES HUMANA NO ESTADO DO RN - PROPOSITURA DA VEREADORA DIVANEIDE BASÍLIO COM APOIO DO VEREADOR FRANKLIN CAPISTRANO E PRESENÇA DO DEPUTADO ESTADUAL FRANCISCO. O ARCEBISPO DOM JAIME, PRESIDENTE DO ÓRGÃO DE ASSISTÊNCIA RURAL E URBANA COMPÔS A MESA AO LADO DE OUTRAS AUTORIDADES E INTEGRANTES DA ENTIDADE


Terezinha Josefa de Souza, professora formada pela Escola Normal de Mossoró, nasceu em Martins/RN, filha do Delegado de Polícia Henrique José de Souza e Maria Cândida de Souza  foi a primeira mulher a tomar posse no serviço de saúde pública federal no estado Rio Grande do Norte através de concurso público, no qual foi selecionada com louvor, sendo nomeada para o INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA PREVIDENCIÁRIA DOS COMERCIÁRIOS - IAPC, unificado com os outros institutos para o INSS, cuja assistência passou a ser realizada pelo INAMPS, sendo hoje aposentada pelo Ministério da Saúde.

Além de grande profissional da saúde, conseguiu louros em sua carreira profissional através de concursos e de cursos de especialização em Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e no Navio Hospital Escola Hope. Aposentou-se no cargo Técnico Especial em Laboratório no Ministério da Saúde. Foi muito atuante na luta pelos direitos dos servidores públicos, participando de congressos e encontros, nos quais a maior vitória foi a conquista ao direito do pagamento do décimo terceiro salário. Era chamada carinhosamente de Miss DASP pelo seu conhecimento das leis da saúde e previdência. Sua voz sempre respeitada em qualquer área em que atuava. Foi presidente do Clube da categoria.

Paralelamente, atuou como presidente do Conselho de Pais e Amigos do Colégio, atualmente Escola Estadual Winston Churchill, onde suas três filhas estudaram, quando do exercício da gestão do Professor Orneles Filgueira como diretor geral. Foi presidente da Cooperativa Habitacional dos Servidores da Previdência e participou ativamente das decisões e escolha de terreno, compra, definição de planta, construtora, distribuição das casas, fundação e contrução da igreja do Conjunto Candelária, hoje bairro, cujo nome também foi sua sugestão à época em homenagem à Nossa Senhora. Assim, integrou como presidente de cooperativa o quadro do Instituto Nacional de Cooperativas Habitacionais - INOCOOP, contribuindo com suas sugestões e trabalho para a transformação da cidade através da construção dos conjuntos habitacionais: Ponta Negra, Cidade Satélite, Conjunto dos Bancários, Pirangi e outros, resultado da política habitacional do governo federal e da articulação dos cooperativados e povo na luta por melhores moradias.

Sempre atuou junto aos pobres, excluídos, doentes e jovens. Junto com o bispo auxiliar Dom Costa, enveredou a luta pela construção da nova Catedral, integrando os grupos de trabalho e fundaram, por sua sugestão, a Pastoral da Saúde em Natal, que em seguida foi encampada a nível nacional pela CNBB, conforme depoimento do vereador Dr. Franklin Capistrano com quem atuou durante muitos anos nessa coordenadoria.

Após sua aposentadoria, dedicou-se exclusivamente a contribuir com as atividades da Diocese de Natal e com o Padre Dalmário implantaram a procissão de Nossa Senhora da Apresentação em barco no rio Potengi no dia 21 de novembro pela madrugada, ocasião em que se comemora a festa da Padroeira da cidade no local em que os pescadores trouxeram do mar a caixa com a imagem com a inscrição: "Aonde esta imagem chegar, nenhuma desgraça acontecerá".

Tetê, como é conhecida por todos, também se dedicou a cooperar com as atividades do grupo de senhoras, criado por D. Iracema Brandão, para auxiliar na manutenção dos estudantes de Teologia e ritos católicos para se tornarem padres no Seminário de São Pedro. Seu carinho e afeto pelos jovens lhe concedeu a graça de ser chamada de mãe por esses padres, diáconos e seminaristas, que tanto a satisfaz.

Trabalhou com os padres Lucas, Hudson, Agnelo e mais recentemente com Flávio e Elinelson na Matriz, primeira construção em solo potiguar, quando da chegada dos portugueses. Sempre colaborou com todas as atividades, principalmente aos domingos na missa das 17:30h, sendo articuladora da paroquia, organizando as equipes de liturgia, canto e oferta. Ministro da Eucaristia e conselheira.

Esse trabalho para Deus e ao próximo, estendeu-se para sua contribuição ao Serviço de Assistência Rural e Urbana da Arquidiocese de Natal, fundado em 1949 por grandes nomes da história potiguar no Século XX, como Dom Eugênio Sales; Dom Expedito da adutora, o homem das águas; o leigo altruísta professor Ulisses Celestino de Góis, fundador da Escola Técnica de Comércio de Natal em 1919 e outros como Dom Nivaldo Monte, Dom Heitor, Dom Matias e Dom Jaime, tendo contribuído com o Padre Sabino Gentile, com quem dividiu muitos momentos de labor com o objetivo de levar alfabetização, conhecimento de técnicas agrícolas e agropecuárias, saúde com assistência médica e medicamentos, assistência social, além de voz pela luta de seus direitos ao homem do campo, oportunizando melhoria de vida e bem estar para essa gente tão esquecida das políticas públicas.

Seu dinamismo e compromisso, engajaram-na nessa peleja social da igreja, que ela respeita e ama desde sua infância, quando as matriarcas da família deram o exemplo no trato com os negócios da igreja e na relação com Deus.

Em razão dessa ativa participação com dedicação à Arquidiocese de Natal e ao Serviço de Assistência Rural e Urbana, Tetê foi convidada para receber o Diploma Homenagem da Câmara de Vereadores de Natal em comemoração aos 70 anos de existência e resistência a todos os momentos políticos e econômicos do país, que envolvem inflação, governo novo, ditadura militar, planos econômicos, incertezas sócio, humanas e climáticas, porém continua de pé e sempre para dar apoio e conceder esperança ao homem tanto da zona rural, quanto da urbana.

Nossos parabéns pela resiliência!!!!!!

CÂMARA MUNICIPAL DE NATAL PRESTA HOMENAGEM AOS 70 ANOS DO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA RURAL E URBANA DA ARQUIDIOCESE DE NATAL SARU




Esses homens e mulheres e os que se fazem presentes em seus corações, como o Padre Sabino Gentile, in memoriam, fizeram e fazem a diferença na vida de muita gente no estado do Rio Grande do Norte, tanto no campo, quanto na cidade. Eles não escolhem o lugar de atuação. Tem que está junto ao povo desprovido de recursos financeiros, materiais e espirituais, levando ajuda através de ensinamentos, orientações e assistência social e médica, oportunizando a esperança de dias melhores em uma sociedade mais justa e humana.

São homens e mulheres ou mulheres e homens que creem que são fruto da caridade e necessitam partilhar e compartilhar o amor em todas as suas expressões e dimensões.

Há 70 anos, grandes visionários humanitários potiguares, como Dom Eugênio Sales, Dom Expedito da Adutora, Professor Ulisses Celestino de Góis e outros, fundaram o Serviço de Assistência Rural e Urbana da Arquidiocese de Natal, Presidida na atualidade pelo Arcebispo de Natal, Dom Jaime. A esse organismo está agregado a Emissora de Educação Rural, Rádio Rural e FM, e muitos, muitos foram beneficiados com sua assistência.

A vereadora Divaneide Basílio foi muito feliz ao fazer a propositura de homenagem a essa comemoração, por tornar visível uma valorosa luta de priorizar o homem necessitado de auxílio para fazer frente ao seu tempo.

Parabenizamos essa entidade e ao corpo humano que lhe dar vida, desejando longa existência de bênçãos e realizações a favor do homem!

Uma linda e emocionante seção que pode ser vista em DVD na Câmara.

Aplausos!


terça-feira, 24 de setembro de 2019

domingo, 22 de setembro de 2019

NA SALA DE OFICINAS NA 9A FLIQ, FLAGRANTE DO BATE-PAPO DA UBERN SOBRE A VALORIZAÇÃO DO AUTOR POTIGUAR E PERSPECTIVAS NO CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO

Tema inserido na programação principal da 9a.Fliq.

Antecedendo, essa atividade, os autores UBERN autografaram no espaço do autor.

Registro da presença de associados e convidados.

José de Castro; Junior Dalberto; Marcos Campos; Carla Alves; Aluízio Matias; Tereza Custódio; Diulinda Garcia; Simone Linhares ao meu lado.

Ainda estiveram presentes Andréia Braz; Ana Cláudia Trigueiro.

Foi uma conversa muito proveitosa em que foi lançada oficialmente a programação de comemoração dos 60 anos da UBERN No dia 01 de outubro de 2019 com o VIII EPE - ENCONTRO POTIGUAR DE ESCRITORES E LANÇAMENTO DA COLETÂNEA DE CONTOS E CRÔNICAS 2019. HAVERÁ HOMENAGENS IN MEMORIAM E A PERSONALIDADES EM ATIVIDADE.




sábado, 21 de setembro de 2019

60 ANOS UBERN - PROGRAMAÇÃO DO VIII EPE - ENCONTRO DE ESCRITORES POTIGUARES NO TEATRO DE CULTURA POPULAR - TCP NA RUA JUNDIAÍ EM TIROL, NATAL. AO TÉRMINO DA PROGRAMAÇÃO HAVERÁ O LANÇAMENTO DA COLETÂNEA DE CONTOS E CRÔNICAS 2019 DA ENTIDADE COM GRANDES NOMES DA LITERATURA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA E INTERNACIONAL




SIMONE LINHARES AUTOGRAFA AS CINCO ESTAÇÕES

Com Rejane Souza, Coordenadora do Mulherio das Letras de Nísia Floresta que organiza o evento nacional em novembro na Cidade da Criança

Presença de Abel sempre incansável no apoio a sua esposa Simone

COM A ESCRITORA SIMONE LINHARES E SUA OBRA AS CINCO ESTAÇÕES APÓS AUTÓGRAFO NA 9A FLIQ


O ERÓTICO À FLOR DA PELE MARCOU PRESENÇA NA 9A FLIQ. OBRA COM A VOZ FEMININA POÉTICA ORGANIZADA PELA ESCRITORA JUÇARA VALVERDE DENTRO DAS COMEMORAÇÕES DOS 60 ANOS DA UBERJ


POETA ANTÔNIO FRANCISCO, HOMENAGEADO NA 9A FLIQ

Poeta Antônio Francisco recebe o carinho dos seus pares na 9a Fliq

A MULHER EM ESTAÇÕES NA 9A FLIQ



A MULHER EM ESTAÇÕES ORGANIZADO PELA PRESIDENTE DA ALAMP, POETA FLAUZINEIDE MOURA ESTEVE NA 9A FLIQN

SAUDAÇÃO À PRIMAVERA - JANIA SOUZA

Foto: Erilva Leite



A tarde no Bosque dos Namorados, Parque das Dunas, recebe o encontro dos poetas da SPVA/RN. Coincidentemente, a Primavera está chegando por entre o canto dos passarinhos.

Encontro-me impossibilitada de comparecer, pois o encontro já chega em seus momentos finais. Porém deixo meu abraço aos amigos poetas, que participaram e reescrevo esse poema, que fiz a pouco no WhatsApp da entidade, inspirado por esse instante.


Saudação à Primavera

Aos poetas Erilva Leite e Dílson Ferreira

Jania Souza


Chega a Primavera
em suas folhas
traz o poema das flores.

Há lápis e lábios
mergulhados em seus sons
cores e aromas.

Presságio de poemas
vertidos dos versos
regados à alma de poeta
rolando o mistério das horas
entre os galhos das árvores
no bosque que bebe
os sentimentos.

Ah! Chega a Primavera
e com suas flores
e canto de pássaros
inala entre perfumes
e ninhos
as horas dos poetas
que fazem seus versos
e derramam-se em suas folhas
como se estivessem
no próprio Nirvana.

Ah! Chega a Primavera
e nos faz cantar e rolar
como doces menestréis medievais
para os pássaros, as pessoas
e as crianças
nas saias de roda
que envolvem o bosque
do Parque das Dunas.

VENCEDORES DO CONCURSO ADÉLIA PRADO DA ACADEMIA FEMININA MINEIRA DE LETRAS, INFORMA NOSSA QUERIDA ESCRITORA ANGELA TOGEIRO. PARABÉNS AOS VENCEDORES EM TODAS AS CATEGORIAS E AOS ORGANIZADORES POR TÃO SELETO EVENTO LITERÁRIO REVELANDO NOVOS TALENTOS E CONSAGRANDO OS VETERANOS!





Parabéns aos vencedores!
ACADEMIA FEMININA MINEIRA DE LETRAS
CONCURSO ADÉLIA PRADO - Resultado

POESIA
CONTO
CRÔNICA

1º LUGAR
TÍTULO: Palavras Encantadas
PSEUDÔNIMO: Peter Parker
NOME: Edweine Loureiro da Silva
CIDADE/PAÍS: Saitama/Japão


2º LUGAR
TÍTULO: Passos na Estrada
PSEUDÔNIMO: Clarissa Machado
NOME: Maíra Bastos dos Santos
CIDADE/ESTADO: SP/SP


3º LUGAR
TÍTULO: As Mãos de Adélia
PSEUDÔNIMO: Tereza
NOME: Sandra Maria Batista Fonseca
CIDADE/ESTADO: BH/MG


MENÇÃO HONROSA
TÍTULO: Cristais
PSEUDÔNIMO: A Lua em Pleno Meio-dia
NOME: Ana Cristina Mendes Gomes
CIDADE/ESTADO: São Pedro da Aldeia/RJ


TÍTULO: Procura
PSEUDÔNIMO: Bárbara Heliodora
NOME: Zaíra Melillo Martins
CIDADE/ESTADO: Caeté/MG

TÍTULO: Peregrina
PSEUDÔNIMO: Violeta
NOME: Solange Firmino de Souza
CIDADE/ESTADO: RJ/RJ


1º LUGAR
TÍTULO: Retirantes
PSEUDÔNIMO: Amélia Greier
NOME: Carolina Cunha Pereira Frutuozo
CIDADE/ESTADO: São Carlos/SP


2º LUGAR
TÍTULO: Sob a Sombra do Querer
PSEUDÔNIMO: Aedo dos Féaces
NOME: João Lisboa Cotta
CIDADE/ESTADO: Ponte Nova/MG


3º LUGAR
TÍTULO: Duelo Sobre a Mesa
PSEUDÔNIMO: Mr. Olímpico
NOME: Celso Antônio Lopes da Silva
CIDADE/ESTADO: SP/SP


MENÇÃO HONROSA
TÍTULO: Três Marias
PSEUDÔNIMO: Maria Terra
NOME: Geny Teodoro de Assis
CIDADE/ESTADO: RJ/RJ



TÍTULO: Maria Bethânia
PSEUDÔNIMO: Luz Fernandez
NOME: Hermínia Emilia Prieto Martinez
CIDADE/ESTADO: Viçosa/MG

TÍTULO: Segredos no Armário
PSEUDÔNIMO: Santo Xavier
NOME: Luiz Carlos Giraçol Cichetto
CIDADE/ESTADO: Araraquara/SP


1º LUGAR
TÍTULO: Salve-se Quem Puder
PSEUDÔNIMO: Kilama Davale
NOME: Antônio Francisco Pereira
CIDADE/ESTADO: BH/MG


2º LUGAR
TÍTULO: Waldomiro, o Pescador
PSEUDÔNIMO: Lua Clara
NOME: Maria Lúcia Mendes
CIDADE/ESTADO: ITAÚNA/MG


3º LUGAR
TÍTULO: Mulata, Nova e Gorda
PSEUDÔNIMO: Orestes Faraj
NOME: Pedro Diniz de Araújo Franco
CIDADE/ESTADO: RJ/RJ


MENÇÃO HONROSA
TÍTULO: No Chão do Vagão
PSEUDÔNIMO: Geo Lethe
NOME: Georgeta de Oliveira Gonçalves
CIDADE/ESTADO: São Sebastião/SP



TÍTULO: O Encanto e a Alma da Vida
PSEUDÔNIMO: Robert Schumann
NOME: Ronaldo Dória dos Santos Júnior
CIDADE/ESTADO: Sepetiba/RJ

TÍTULO: O Cortejo
PSEUDÔNIMO: Dama
NOME: Denise Assis Fleury Curado
CIDADE/ESTADO: Goiânia/Goiás




--