segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Nivaldete Ferreira e Anchella Monte na Quinta Literária na Nobel com a UBE/RN no Dia do Estudante


QUINTA LITERÁRIA NA NOBEL COM A UBE/RN TRÁS PARA COMEMORAR O DIA DO ESTUDANTE DOIS TALENTOS LITERÁRIOS, QUE POR AGRADÁVEL COINCIDÊNCIA, SÃO TAMBÉM PROFESSORAS DESSES JOVENS QUE CONSTROEM O BRASIL - ANCHELLA MONTE E NIVALDETE FERREIRA - SIMPLESMENTE IMPERDÍVEL!

 POETA E ESCRITORA ANCHELLA MONTE
POETA, ESCRITORA, ARTISTA PLÁSTICA NIVALDETE FERREIRA


Será um momento único para conhecer com mais profundidade essas encantadoras mulheres de sensibilidade aguçada que fazem da caneta um mar de rosas com pétalas de letras, palavras, pensamentos, sentidos, emoções.

Quando: 5a. feira, Dia do Estudante, 11/08/2016

Hora: a partir das 19h

Onde: Livraria Nobel da Avenida Senador Salgado Filho

Mediação: Jania Souza

Transmissão ao vivo por www.aquieassimtv.com

A partir do dia 13/08/16, vídeos disponíveis no canal do youtube: nobel salgado filho

Organização: UBE/RN em cumprimento a sua política de divulgação e difusão do autor potiguar

Apoio: Livraria Nobel

segunda-feira, 11 de julho de 2016

ADEUS, POETISA DAS FLORES POR EDUARDO GOSSON



ADEUS, POETISA DAS FLORES
Por Eduardo Gosson (01)

Conheci LÚCIA HELENA através da confreira Anna Maria Cascudo Barreto que a indicou para ingressar nos quadros da União Brasileira de Escritores – UBE/RN. Neta do poeta Juvenal Antunes que se imortalizou através do belo poema ELOGIO DA PREGUIÇA (devidamente estudado) pelo poeta e crítico Esmeraldo Siqueira em JUVENAL ANTUNES UM BOÊMIO INOVIDÁVEL), edição da Pongetti, que editou os livros de autores potiguares nos anos 30,40, 50 e 60 do século XX.
Lúcia Helena tinha o temperamento forte e dizia o que pensava, criando muitas vezes situações embaraçosas. Foi Diretora de Divulgação da UBE-RN durante três mandatos realizando um excelente trabalho  de difusão cultural. Criou blogs e administrou sites. Foi durante 10 anos presidente nacional da AJEB – Associação das mulheres Escritoras e Jornalistas. Matava  as saudades do seu tempo de menina, poetando sobre o Vale  Encantado ou visitando-o sempre que podia.
Há dois anos quando trouxemos o poeta cubano FÉLIX CONTRERAS para um ciclo de palestras no RN, ela nos ciceroneou com o seu prestígio no vale do CEARÁ-MIRIM/RN que ela tanto amava. Combinou com o prefeito para que a Banda de Música tocasse assim que poeta chegasse e com o padre Bianor o repicar de sinos na belíssima Igreja. Ao botar os pés na porta o poeta falou:
   - Sou comunista mais acredito em Deus.
Seus olhos encheram-se de lágrimas  e de girassóis. O poeta português CARLOS MORAIS dos SANTOS batizou-lhe de POETISA DAS FLORES. Adeus menina, agora que você deixou de ser moderna para ser eterna.
   - Eu não sabia que doía tanto!
Poeta, preside a UBE-RN
 

A POETISA DAS FLORES DESPEDE-SE DO CONVÍVIO POTIGUAR E ALÇA SEU VOO PARA AS ESTRELAS DA LÍRICA CELESTIAL

 O sol amanheceu risonho
nesse 11 de julho
provavelmente para recepcionar
a Poetisa das Flores
que adentrou as portas do céu.
Esqueceu aqui na terra
suas dores, seus sofrimentos.
Na sua bagagem
levou o tesouro do seu sorriso
a alegria que há na felicidade
de apenas ser.
Pegou na mão de São Miguel Arcanjo
olhou-o com encanto
ousou outra vez dar alguns passos de dança.
Para São Pedro
cantou Dio como te amo
e as portas foram-lhe abertas
para integrar o coro das estrelas
na lírica celeste.


 A última Baronesa do Ceará Mirim
deixa órfão o verde vale dos seus amores
que tantas venturas guardou no tesouro das suas lembranças.
 Guerreira até o fim
jamais se deixou abater
levantou a bandeira da poesia
e escreveu com ardor
a palavra fluída do peito canoro.

Voa Poetisa das Flores
sobre os verdes canaviais
Voa nas páginas dos livros
e escreve com sua alma
a fé que há na tradição
semente da força do povo
que ama com todo o coração.

Você fez o bom combate.



Velório no Morada da Paz da Rua São José
Sepultamento às 10h no Cemitério de Nova Descoberta


LÚCIA HELENA PEREIRA
Poeta e cronista brasileira
Natural de Ceará Mirim/RN
Foi Diretora de Divulgação da UBE/RN
Presidente da AJEB Nacional
IHGRN
Academia Feminina de Letras do RN
Academia Cearamirense de Letras
Blogueira
Ativista Cultural Potiguar
Cônsul Poetas Del Mundo por Ceará Mirim

terça-feira, 7 de junho de 2016

QUINTA LITERÁRIA NA NOBEL COM UBE/RN - EDIÇÃO DE JUNHO

A tradicional Quinta Literária na Livraria Nobel, localizada na Av. Senador Salgado Filho em Natal, no próximo dia 09 de junho, a partir das 19h, será coordenada pela União Brasileira de Escritores do RN, que trará para a mesa de autores os conhecidos, admirados e respeitados escritores Tomislav R. Femenick e Aluízio Matias dos Santos.
Será um momento de aprofundamento na vida, na obra e na trajetória literária dos renomados autores.
Fica mais um convite de deleite e novos voos no universo literário brasileiro.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

QUINTA LITERÁRIA NA NOBEL COM A UBE/RN, EDIÇÃO DE MAIO/16, SAUDAÇÃO DO PRESIDENTE EDUARDO ANTÔNIO GOSSON AOS HOMENAGEADOS

 MEDIADOR: POETA, MÚSICO, ESCRITOR ROBERTO LIMA DE SOUZA (ESQUERDA) E POETA, ESCRITOR LÍVIO OLIVEIRA
ANDREIA BRAZ, NELSON PATRIOTA, GUIOMAR


FALA DO POETA ESCRITOR EDUARDO ANTÔNIO GOSSON, PRESIDENTE UBE/RN NA ABERTURA DA QUINTA LITERÁRIA NA NOBEL COM A UBE/RN, EDIÇÃO DE MAIO/16

 CARTA AOS POETAS HORÁCIO PAIVA, LÍVIO OLIVEIRA e ROBERTO LIMA
                              12 DE MAIO – DIA ILUMINADO DA POESIA

Meus camaradas:
 No ofício da Poesia não é fácil reunir um time tão bom como este que foi escalado para o jogo desta noite, na Quinta-feira Literária, da UBE-RN em parceria com a livraria NOBEL (organizado pela nossa Vice-Presidente a poetisa Jania de Souza). Será um grande momento de pura poesia.
HORÁCIO PAIVA. Poeta, líder sindical, lutador por um Brasil melhor. A luta pela redemocratização do Brasil tomou-lhe bastante tempo. Foi presidente por três mandatos do Sindicato dos Bancários, derrotando um líder pelego que fazia 30 anos que controlava o sindicato. Essa tarefa (dirigente sindical) mais o trabalho no banco do Brasil tomava-lhe o tempo quase todo.
Cristão 100%, amigo de Dom Pedro Casaldáliga (o bispo rebelde), agora com tempo integral para a poesia. Veja a beleza deste versos:

PÃO E LUZ
“com lápis invisível
Descrevo na escuridão
O que não vejo

E posto sobre a mesa
Creio haver um pão
À espera da luz”

LÍVIO OLIVEIRA. O mais jovem do grupo e com uma produção literária invejável, atuando na poesia, no ensaio,  na música com a gravação de um CD com poemas musicados pelo cantor Babal. Por fim no movimento associativista quando, em 2006, liderou a reorganização da União Brasileira de Escritores-UBE/RN. Com preocupações por um BRASIL melhor, livre do veneno da corrupção, Política: candidato ao cargo de Deputado Federal foi muito bem votado sem comprar nenhum voto, sem ser dono de nenhum curral eleitoral. A experiência serviu-lhe para mostrar as mazelas da nossa Democracia. Mas voltemos a Poesia que nos consola e conforta sempre. Mestre do Hai Kai:
Hai-Kais do Mar Alto

I
Árvore que canta.
Vento e uivo no deserto.
O sonho passeia.

II
Música real:
as imagens se misturam
nas dunas que dançam.

ROBERTO LIMA. O mais antigo do grupo vem de uma família amante da música e da poesia. Seu avô EVARISTO DE SOUZA está entre os sócios do dia 14 de agosto de 1959, data oficial da fundação da UBE. Poeta, compositor, filósofo, tem mestrado e doutorado em Lógica. Secretário de Estado do governo de Cortez Pereira, de Micarla de Souza, foi presidente da UBE-RN n biênio de 2014 – 2015. Atual vice-presidente do Instituto Histórico e Geográfico do RN, também é assessor da Conferência dos Bispos do Brasil-CNBB. Veja o poema dedicado a NELSON MANDELA:

UM HOMEM CHAMADO PAZ 
- Poema à Memória Bendita de Nelson Mandela
POR  Roberto Lima de Souza 

 Um dia, a paz despojou-se das convenções humanas 
E foi nascer, de novo, vestindo pele negra, 
No hemisfério sul, no continente mais negro 
Deste mundo de meu de Deus... 

 É que a paz se cansou de ser branca no hemisfério norte,
 Onde surgiram, meu Deus, as grandes guerras, 
Embora tantos por lá tenham sempre buscado a paz, 
Tenham sempre sonhado com a paz, sempre ela, 
 Vestida de branco e sempre bela... 

 A paz, porém, naquele extremo sul, não foi reconhecida
 Porque estava vestida de negro 
E os que governavam, 
 Iguaizinhos aos homens do outro hemisfério,

 Imaginavam que ela, a paz,
 Nascesse branca, dócil e subserviente ao regime
 Que apartava os homens pelas diferenças de cor... 
E a paz, tomando as dores da sua prima-irmã, a igualdade, 
 Precisou endurecer-se na vida para poder lutar 
E enfrentar as duras injustiças sofridas pelos seus irmãos,
 Só porque tinham a mesma cor da sua pele... 

 E porque defendia direitos iguais para os seus, 
Foi a paz considerada subversiva 
E, por longos vinte e sete anos, banida, 
Privada do convívio dos seus...

 E a paz, então, começou a cantar pela voz dos seus irmãos de cor 
E de todas as outras cores que tem o amor... 
E o seu canto foi ouvido pelo mundo inteiro, 
Do hemisfério sul ao hemisfério norte, 
Porque o canto da paz é um grito que vence o furor,
Que não teme a força bruta, que não teme mesmo a morte...

 E tão forte foi o canto da paz 
Que, um dia, num dia de muita claridade,
 Mandela, que nasceu livre,
 Reencontrou a liberdade 
E, a ela, de mãos dadas, fez esquecer a ideia de norte e sul: 
Vestiu-se com as cores todas da diversidade, 
E, entre os homens de pele branca e de pela escura, 
Passou a conviver no coração de todos 
Com o nome de fraternidade, 
Até que, um dia, foi chamado, de novo, de paz, 
Nos braços do Pai de toda a humanidade...

Agora  é hora de botar o time em campo e fazer gol de placa!
(*) Eduardo Gosson é presidente da UBE-RN


FOTOS: Escritor e gestor da Livraria Nobel, Aluízio Azevedo Junior

Vídeos no canal Nobel salgado filho no youtube